Samba do Cacete do Pará para Paris

O Documentário “Samba de Cacete – Alvorada Quilombola” foi premiado no Festival Internacional Du Film Pan Africain, como Melhor Documentário de Curta Metragem concorrendo entre mais de 30 países. Realizada de 5 a 9 de abril, a premiação faz parte do Festival de Cannes, na França. O documentário registra manifestação cultural quase desconhecida no Brasil, na comunidade quilombola chamada de Igarapé Preto, no município de Oeiras, região nordeste do estado do Pará. O diretor do Curta André dos Santos é cineasta que cresceu em comunidade quilombola.

O Samba de Cacete é uma manifestação cultural ainda preservada em comunidades quilombolas do baixo rio Tocantins, Amazônia paraense, que envolve música, canto e dança com elementos dos batuques afro brasileiros. O nome refere-se aos pequenos cacetes de madeira utilizados pelos tocadores dos tambores para fazerem a marcação e o contratempo.

Diretor André dos Santos durante a filmagem.

Samba de Cacete originou-se entre os grupos afrodescendentes na Amazônia, onde tradicionalmente embalava os mutirões comunitários, iniciando na véspera dos eventos e se estendendo até a manhã seguinte, quando seguiam para o trabalho. As variadas melodias e as letras do samba são antigas e falam do tempo da escravidão, resistindo há quatro gerações entre os quilombolas da região.

 

Assista o filme promocional do Curta Samba de Cacete – Alvorada Quilombola.

 

Ficha Técnica:
Direção
André dos Santos
Artur Arias Dutra

Fotografia
Anderson Batista
André dos Santos
Artur Arias Dutra

Argumento
André dos Santos

Produção Executiva
Denise Schaan

Produção
Luis Fernando Pontes F. Júnior

Assistência de Produção
Diogo Baía Machado
Oziel da Rocha Cabral

Imagens Aéreas
Artur Arias Dutra

Montagem e Colorização
Artur Arias Dutra

Som Direto
Davi Paes (203 Studio)

Assistente de Som Direto
Victor Kato

Desenho de Som
Davi Paes

Design Gráfico
Vilson Vicente

 

(Fotos Divulgação)