Cultura Brasileira em coleção para pessoas com deficiência visual

A partir de setembro mais de 3 mil instituições, bibliotecas, escolas e organizações que atendem a pessoas com deficiência visual receberão gratuitamente conjuntos da Coleção Regionais – A cultura brasileira acessível a todos; em projeto da Fundação Dorina Nowill para Cegos, instituição de 71 anos de atuação e uma referência na produção e distribuição de materiais acessíveis às pessoas cegas ou com baixa visão.

Foram produzidos 63 mil livros em formatos acessíveis e interativos – braile, impressão em fonte ampliada e ilustrações, áudio e digital acessível Daisy – sobre a literatura, folclore, culinária, música e turismo brasileiros. Cada conjunto da Coleção Regionais é composto por 21 títulos de livros que contam a cultura de todo o Brasil. As publicações de culinária e folclore são em fonte ampliada e braile; as de literatura tem adaptação para versão em áudio de títulos de mercado; o de turismo foi disponibilizado em formato digital acessível Daisy; e os de música oferecem as informações em fonte ampliada e braile, além de partituras em braile.

“… a Coleção Regionais tem por objetivo levar a diversidade cultural brasileira a seus cidadãos que demandam formas alternativas de leitura. Podemos afirmar que a coleção pode ser considerada a publicação mais completa sobre a diversidade brasileira, em formato acessível, particularmente para pessoas com deficiência visual, que poderão se reconhecer e relembrar suas raízes culturais, quer pelas expressões na cultura, na música, na literatura e em outras formas”, afirma Ika Fleury, presidente do conselho curador da Fundação Dorina.

 

 


Construção coletiva

A Coleção Regionais contou com a participação dos membros da Rede Nacional de Leitura Inclusiva, resultado de projeto incentivado pela Fundação Dorina, em vigor desde 2013. Mais de 300 organizações que constroem coletivamente ações de leitura em todas as regiões brasileiras foram colaboradores e indicaram personagens folclóricos, receitas típicas e músicas de suas regiões.

A Rede Nacional de Leitura Inclusiva é um projeto da Fundação Dorina tem um papel muito importante na disseminação de conhecimento e garantia do direito à leitura da pessoa com deficiência”, afirma Ana Paula Silva, coordenadora deste projeto. “Além de nortear sobre as demanda de cada região, que muito contribuíram para a construção do projeto, atuam como multiplicadoras locais, disseminam práticas de leitura inclusiva e sensibilizam a sociedade, e ampliam as oportunidades de leitura das pessoas com deficiência visual em todo o Brasil”.

 

Leitura inclusiva na prática

Além disso, como forma de estimular a leitura inclusiva, serão realizadas rodas de leitura em 20 municípios brasileiros com a utilização dos livros da Coleção Regionais, para que os profissionais da leitura e educação, além de bibliotecários e demais agentes da inclusão, participem das atividades, multipliquem seus conhecimentos e incentivem a leitura inclusiva. Com a Coleção Regionais será possível fazer uma homenagem à diversidade cultural brasileira e aos brasileiros com deficiência visual que terão em mãos livros que falam de seu entorno, além de proporcionar atividades educativas e integrativas das rodas de leitura inclusiva com os livros da coleção e a participação e pessoas com e sem deficiência.

“Cada roda de leitura é desenhada considerando a riqueza e diversidade local, com o apoio dos Grupos de Trabalho da Rede Nacional de Leitura Inclusiva, proporcionará aos participantes uma rica experiência cultural e inclusiva, com livros para leitura sem barreiras à pessoa com deficiência visual, incentivando os presentes a serem promotores e disseminadores da inclusão”, explica Ana Paula Silva. As rodas de Leitura Incluem a apresentação da coleção e oficinas lúdicas, a partir de setembro e com datas a definir, nos seguintes municípios:

 

Sudeste

São Paulo (capital)
São José do Rio Preto (SP)
Ribeirão Preto (SP)
Lagoa Santa (MG)
Vitória (ES)

Nordeste
João Pessoa (PB)
Teresina (PI)
Recife (PE)
Aracajú (SE)
Salvador (BA)

Norte
Palmas (TO)
Araguaína (TO)
Parintins (AM)
Boa Vista (RR)
Macapá (AP)

Centro-Oeste
Campo Grande (MS)
Goiânia (GO)

Sul
Porto Alegre (RS)
Santa Maria (RS)
Imbituba (SC)

 

Um conjunto de livros inclusivos para cada região

  • Braile: Cinco coletâneas musicais de compositores de cada região, com músicas típicas e populares e com todas as partituras em Braille. Os livros apresentam ao músico-leitor a grande oportunidade de conhecer a cultura de sua região por meio da música seja por meio do samba, xote, baião, bossa nova, choro, moda de viola, MPB e outros estilos musicais.
  • Fonte ampliada e braile: Cinco coletâneas de receitas de cada região, em impressão em fonte ampliada e também em braile. Será possível encontrar receitas mais populares e práticas de fazer, que retratam a culinária local e representam a cultura da região. Há também dicas para pessoas cegas e baixa visão se aventurarem pelo universo da culinária com segurança.
  • Tinta-Braile com ilustrações infantis: Cinco livros em que são contadas histórias de um personagem folclórico de cada região com ilustrações divertidas, braile e fonte ampliada, concomitantes. A escolha dos personagens se deu conforme pesquisa realizada durante a produção da coleção. Os títulos são: Boto Cor de Rosa; Bumba meu Boi; Cuca; Minhocão do Pari e Negrinho do Pastoreio.
  • Digital Acessível Daisy: O formato digital acessível tem um único título que aborda o turismo brasileiro. O título selecionado foi “Memórias do Brasil”, de autoria de Glória Porto Kok. Composto por textos e uma coleção de fotografias, a publicação foi dividida em quatro grandes blocos: Patrimônio natural e arqueológico, que inclui parques, sítios arqueológicos e jardins históricos; Edificações militares, com descritivos de fortes e fortalezas espalhados por vários Estados brasileiros e que testemunham diferentes fases de defesa e ocupação do território; Edificações Civis e Religiosas, dividido pelas cinco regiões, inclui núcleos urbanos que constituídos em momentos decisivos da história – desde Iguape, uma das primeiras vilas brasileiras, até Brasília – e também igrejas e prédios com valor histórico ou arquitetônico; o último bloco pretende fazer jus ao projeto inicial de Mário de Andrade, quando escreveu texto sobre a importância da preservação dos bens brasileiros, chamando a atenção para o patrimônio imaterial – são saberes, lugares, celebrações e formas de expressão.

 

Sobre a Fundação Dorina Nowill para Cegos

A Fundação Dorina Nowill para Cegos trabalha há 71 anos para que crianças, jovens e adultos cegos e com baixa visão sejam incluídos em diferentes cenários sociais.

www.fundacaodorina.org.br | www.facebook.com/fundacaodorina

 

Sobre a Rede Nacional de Leitura Inclusiva

O projeto Rede Nacional de Leitura Inclusiva é promovido pela Fundação Dorina, que desde 2013 mobiliza Grupos de Trabalho presentes nas cinco regiões brasileiras.

leiturainclusiva@fundacaodorina.org.br | www.redeleiturainclusiva.org.br

 

 

 

(Fotos Divulgação)