A tradição oral documentada e registrada em Histórias da Tradição

O Projeto Histórias da Tradição é uma site para promoção das narrativas tradicionais indígenas para amplo acesso e conhecimento. Neste espaço virtual estão reunidos: vídeos dos narradores indígenas, áudio das histórias nos idiomas nativos, fotografias, textos, desenhos, depoimentos e ainda algumas histórias em português, num trabalho de recriação das narrativas orais.

A primeira etapa do Histórias da Tradição aconteceu em 2014, gerando acervo precioso de registros coletados nas aldeias pelos narradores tradicionais dos povos Karajá  e Xavante. O apoio dessa etapa veio através do Programa Petrobras Cultural. Agora, em 2017, lançou Histórias da Tradição que apresenta a cultura oral do povo Mehinaku, do Alto Xingu, com apoio do Rumos Itaú Cultural.

O projeto já editou os livros: “Ynyxiwè que trouxe o sole outras histórias do povo Karajá”, Aihö’ ubuni – O Lobo Guará e outras histórias do povo Xavante” e agora, juntamente com a aldeia Uyaipiuku, o livro mais recente “Kuwamutü que criou o mundo e outras histórias do povo Mehinaku”, em parceria com as aldeias Fontoura e Etenhiritipá.

Histórias da Tradição é uma resposta ao pedido dos velhos sábios das aldeias que acreditam que as novas tecnologias, quando apropriadas e conduzidas pelas comunidades, podem ser armas importantes para a manutenção e valorização das tradições. O encantamento é certo.

 

 

Objetivos

A proposta do projeto Histórias da Tradição é de registrar, documentar e divulgar as culturas indígenas para o fortalecimento da identidade e a aproximação com a sociedade brasileira.  Criar um acervo, usando a tecnologia e novos suportes, para preservar a arte das narrativas orais, a memória dos narradores tradicionais e garantir que esse patrimônio esteja disponível para que as comunidades o utilizem na construção de outros materiais educativos e culturais.

 

O processo

O trabalho com cada uma das aldeias parceiras durou em média um ano, desde o planejamento e realização das viagens a campo, o registro e processamento de todo o material coletado, a finalização deste website e dos livros. A relação de amizade e os trabalhos anteriormente realizados em conjunto com esses povos foram determinantes para o sucesso do projeto Histórias da Tradição.

Cada aldeia parceira decidiu a formação de suas equipes e junto com a equipe da Ikore definiu a metodologia de trabalho. Conversas, discussões, reflexões apontaram os caminhos, diferentes para cada povo.

O acervo coletado está disponível, no idioma nativo, para os pesquisadores indígenas e para as comunidades pensarem outros usos. Algumas histórias foram selecionadas pelas comunidades para serem traduzidas para o português e editadas em livros como importante ferramenta de divulgação das culturas e aproximação com os demais povos que constituem a nação brasileira.

 

Veja um pouco sobre as aldeias já registradas nas galerias abaixo, fotos divulgação de Hélio Nobre.

Mehinaku

Os Mehinaku contam que Kuwamutü, no início dos tempos, os criou na região do Alto Xingu onde ainda vivem, entre os rios Kurisevo e Tuatuari. São poucas pessoas guardando uma rica tradição de muitos conhecimentos e belezas.

 

 

Karajá

Os Karajás são cerca de 3.000 pessoas, vivendo em diversas aldeias nos estados de Mato Grosso, Tocantins e Goiás. A maior população está às margens do Rio Araguaia, na Ilha do Bananal, a maior ilha fluvial do mundo, na divisa dos estados de Tocantins e Mato Grosso.

 

 

Xavantes

Os Xavante são mais de 20 mil pessoas em 8 terras indígenas demarcadas do nordeste ao sudeste do Mato Grosso.

 


 

Assista alguns dos vídeos do Projeto Histórias da Tradição

 

Aunakĩ Kuyau Alamiri – Ianunu

 

Pedro Ijetura – História da cobra grande

 

Pracé Xavante – História das mulheres guerreiras