Pierre Verger e Carybé em relançamento literário

Colaborando com a RAIZ

Lendas Africanas dos Orixás com os textos de Verger capturados da tradição oral Iorubá e, 24 telas que Carybé criou especialmente para o livro. A nova edição tem prefácio de Reginaldo Prandi, renomado estudioso da temática africana
lendas-africanas-dos-orixas-pierre-fatumbi-verger-48-638 - Divulgação
lendas-africanas-dos-orixas-pierre-fatumbi-verger-48-638 – Divulgação

Com sua primeira edição lançada em 1985, pela editora Corrupio, Lendas Africanas dos Orixás é um dos títulos mais procurados por pesquisadores, religiosos e interessados em assuntos da diáspora africana. O livro traz um compilado de lendas, cuidadosamente coletadas por Verger em 17 anos de sucessivas viagens pela África Ocidental, desde 1948, período em que se tornou Babalaô (1950) e quando recebeu do seu mestre Oluô o nome de Fatumbi. Todas essas lendas foram anotadas por Verger a partir das narrativas dos adivinhos babalaôs africanos e que, como diz Arlete Soares no texto de apresentação da primeira edição, são “histórias que constituem, todas elas, testemunhos diretos e espontâneos da cultura iorubá, cuja influência na nossa cultura faz-se sentir de maneira tão acentuada”.

Conhecido por todos pelo seu trabalho fotográfico, curiosamente, o livro não traz uma fotografia sequer produzida por Verger. No entanto, a imagética das lendas desta obra recebe o auxílio luxuoso de Carybé, que assina as 24 ilustrações. O artista visual argentino e grande amigo de Fatumbi traduz com carinho, sensibilidade e cuidadosas informações etnográficas o espírito da magia dos orixás, que é fruto da sua intimidade com o candomblé da Bahia.

lendas-africanas-dos-orixas-pierre-fatumbi-verger-15-638 - Divulgação
lendas-africanas-dos-orixas-pierre-fatumbi-verger-15-638 – Divulgação

Esta nova edição de Lendas Africanas dos Orixás é uma publicação da Fundação Pierre Verger e traz como uma das principais novidades o prefácio assinado por Reginaldo Prandi, sociólogo e reconhecido escritor brasileiro sobre as mitologias dos orixás, com o texto “Um babalaô me mostrou”, no qual o professor destaca o quanto esta publicação tem contribuído para repor parcela significativa da tradição esquecida de parte do patrimônio mitológico iorubá por força da adversidade da vida dos africanos no Brasil. Além de um aplicativo para smartphones que permite ouvir as narrações de todas as lendas do livro feitas por Vovó Cici. Basta fazer o download (links abaixo) na sua loja de aplicativos.

lendas-africanas-dos-orixas-pierre-fatumbi-verger-45-638 - Divulgação
lendas-africanas-dos-orixas-pierre-fatumbi-verger-45-638 – Divulgação

Com edição de arte e design gráfico de Enéas Guerra, também responsável pela primeira edição, o livro terá uma tiragem de 4.000 exemplares em capa dura, no formato 21,7 x 27,6 cm. Nas suas 100 páginas, além dos 24 textos e ilustrações originais, o livro apresenta uma fotografia dos artistas, texto de apresentação de Gilberto Sá e do prefácio original da Arlete Soares, além do texto de Prandi.

Link Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.Triviway.LendasOrixas

Link iOS: https://apps.apple.com/fr/app/lendas-dos-orix%C3%A1s/id1472948411

Lendas Africanas dos Orixás

Editora: Fundação Pierre Verger

Participações: Pierre Fatumbi Verger (Autor), Carybé (Ilustrador) e Enéas Guerra Sampaio (Editor)

Edição: 1

Altura: 27,6 cm

Largura: 21,7 cm

Ano: 2019

ISBN: 978-85-88971-16-5

Nº de Páginas: 100

Veja mais no site da Fundação Pierre Verger – CLIQUE AQUI

Colaborando com a RAIZ