RAIZ 07

O DRAGÃO DA MALDADE E O BEIJA-FLOR GUERREIRO

 

RAIZ. é fruto!

RAIZ. é fruto do saber jovem e condensado em um vida intensa entre a natureza e a poesia. Fruto da crença do faça você mesmo, porque não é de outro jeito que tem acontecido ao longo da história. Fruto de muitas mãos que semeiam e fazem germinar em um coletivo de muitos coletivos. Fruto dos frutos de seus artistas e artesãos na realização da sabedoria moldada no barro, na pedra, na madeira e em tramas, tintas, danças, giros, meneios , rodas e cores. Trama lúdica , diversidade do imaginário. Fruto do texto, das fotos, do papel, dos bits, do retrato parcial de um mundo que não cabe em todas as grandes angulares juntas. É preciso de observar de longe para se enxergar mais perto. Por isso Raiz também é fruto do espelho. Fruto do desconhecido.

RAIZ. dialoga com o mundo no seu contato umbilical gerando tantas emoções e pensamentos que nos mantemos firmes ao projeto de uma revista de cultura popular brasileira. Um tema em construção intensa e, portanto, prato cheio para estampar nossa complexidade e perplexidade diante de tantas múltiplas opções de qualidade e quantidade. Na realização da sua missão, de dinamizar cadeias artísticas da cultura mais praticada em todo nosso território, expandimos nossa atuação para uma abordagem multimeios do tema. RAIZ. é fruto em DVD, Internet, Celular, Eventos, Debates, Shows e Leitura, buscando a água e os nutrientes para o diálogo de seu universo desafiador.

Nesse processo inúmeros apoiadores entenderam a importância da cultura popular posicionada em sua devida dimensão. Gostaria de homenagear portanto a Raul Lody, Marcelo Manzatti, Maria Lúcia Montes, Helena Sampaio, Gilberto Freyre Neto, Célio Turino, Roberto Rugiero, Leonardo Brant, Valéria Barros, Guilherme Kujawsky, TT Catalão que com suas capacidades e inteligências construíram a pauta para essa edição da RAIZ.

Muitos formam de maneira espontânea o Conselho Editorial da Revista. Meus votos que ele se efetive e expanda suas ações. Nessa edição também se junta aos nossos esforços como editor-chefe o escritor e jornalista Ricardo Soares que durante muitos anos de trajetória profissional colocou a cultura popular brasileira como uma causa a ser defendida.

A RAIZ. 7 representa a mudança de paradigmas editoriais necessárias para a independência da Revista no seu diálogo com a mídia e a sociedade. Buscamos modelos que atendam ao nosso público e a nossa missão. O Portal RAIZ. (www.revistaraiz.com.br) conta com expressivo volume de internautas impactados e em franco crescimento.

A série de Debates nacionais promovidos como “Fronteiras entre o Popular x Erudito” e o Estado-Nação levaram nossa pauta presencialmente por todo o país. A série de 23 entrevistas disponíveis em podcasts do e-Vento, a Cultura Popular e o Mercado atendem todos usuários do protocolo IP.

A versão em papel, agora representada nessa leitura, não é mais soberana. A RAIZ. mais do que ser lida é para ser vivenciada.

Bom proveito.
Edgard Junior