11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos nas 27 capitais do país

Criada em 2006 para celebrar o aniversário da Declaração Universal de Direitos Humanos proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, a Mostra Cinema e Direitos Humanos foi expandida ao longo dos últimos 10 anos e acontece em todas as capitais do Brasil.

A Mostra tem como objetivo a consolidação da cultura e da educação em Direitos Humanos, ampliando espaços de debate e discussão por meio da linguagem cinematográfica e contribuindo para a formação de uma nova mentalidade coletiva para o exercício da solidariedade, do respeito às diversidades e da tolerância.

 

Cena do filme “Chá de General”

 

Nestes dez anos, a Mostra expandiu em alcance e em escopo – da América do Sul para o Hemisfério Sul, e no Mundo, além de contar, pelo quarto ano consecutivo, com cerca de 1.000 pontos de difusão pelo país, assumindo assim um caráter descentralizador e democrático. Serão exibidos 40 filmes nas 27 capitais do paí. O Circuito Difusão (ativador e divulgador deste evento) amplia o alcance da Mostra Cinema e Direitos Humanos e leva cultura e debate sobre Direitos Humanos para locais em que a oferta de bens culturais é escassa.

 

Cena do filme “Depois que eu te vi”

 

As exibições contam com 4 programas:

Mostra Panorama
LIÇÕES DE HUMANIDADE
Diversidade com títulos que abordam, desde questões de gênero a temas relacionados com representatividade, vulnerabilidade social, discriminação racial, saúde mental, direitos da população indígena, meio ambiente, direito da criança e do adolescente, entre outros.

 

Mostra Temática
GÊNERO
A discussão do patriarcado reveladas nas instituições, práticas e discursos que impõem estigmas e comportamentos discriminatórios contra as mulheres.
A curadoria revela a violência baseada no gênero, que está vinculada a estigmas e discriminação, que estabelecem uma hierarquia entre orientações sexuais e identidades de gênero, instaurando uma relação em que mulheres, lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis passam a ser qualificados como sujeitos sem direitos e, portanto, excluídos da cidadania e da dignidade humana.

 

Cena do filme de Laís Bodanzky, Cartão vermelho

 

Mostra Homenagem
LAÍS BODANZKY
Homenageada da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos, a diretora paulista Laís Bodanzky é uma das mais importantes cineastas brasileiras contemporâneas, com uma carreira consolidada no cinema e na TV, com filmes premiados nacional e internacionalmente, bem-sucedidos de público e crítica.

Após dirigir curtas-metragens, como o filme Cartão Vermelho, Laís e seu marido, o também diretor e roteirista Luiz Bolognesi, criaram, em 1996, um projeto itinerante, o Cine Tela Brasil, que viaja por cidades de vários estados do país exibindo gratuitamente filmes brasileiros. Este projeto a inspirou a realizar o documentário Cine Mambembe – O Cinema Descobre o Brasil em 1999, laureado com o Margarida de Prata da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), entre outros prêmios.

 

Cena do filme Iemanjá e a criação das ondas

 

Mostrinha
O CINEMA E AS PLATEIAS MIRINS
O que é cinema para as crianças? É arte, entretenimento, cultura? É narrativa, linguagem, instrumento educacional? Refletir sobre o que é cinema e sobre as possibilidades da linguagem audiovisual é condição fundamental para compreendermos a experiência cultural das crianças com o cinema.

 

A 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos é realizada pelo Ministério dos Direitos Humanos.

As exibições são todas gratuitas.

 

Saiba mais no sítio da Mostra em:

http://mostracinemaedireitoshumanos.sdh.gov.br

 

 

(Fotos Divulgação)