CanaisCênicasIdentidadesLançamentos

Antônio Nóbrega dá vida ao samba-enredo da Unidos do Porto da Pedra no Carnaval carioca

Colaborando com a RAIZ

Considerado um dos representativos artistas brasileiros que tem a cultura popular brasileira como uma de suas principais referências, o artista pernambucano Antônio Nóbrega será homenageado pela Escola de Samba Unidos do Porto da Pedra (RJ).

O samba-enredo 2024 “Lunário Perpétuo: A Profética do Saber Popular” tem como inspiração o livro-almanaque Lunário Perpétuo, nome também de um espetáculo de Antônio Nóbrega criado em 2002, quando completou 30 anos de carreira.

O tema escolhido e desenvolvido pelo carnavalesco Mauro Quintaes com pesquisa de Diego Araújo, a Porto da Pedra, que retorna este ano ao grupo especial, prepara para o dia 11 de fevereiro, uma viagem única baseada na obra de Jerônimo Cortés, publicada em 1594, na Espanha.

O Lunário, almanaque ilustrado com xilogravuras e que chegou ao Brasil depois de 200 anos após ser lançado, abrange astrologia, horóscopo, receitas médicas, mitologia e diversos outros temas, será recriado pelo Tigre de São Gonçalo, revelando esse universo rico e diversificado para o público na Sapucaí.

Lunário Perpétuo - Revista Raiz
Almanaque “Lunário Perpétuo” – Edição de Lisboa, ano 1768 – impresso nas Oficinas Francisco Borges de Sousa.

“Fico muito grato pela homenagem, principalmente pelo fato dela vir de uma comunidade cultural que tem significativa presença no meu trabalho”, diz o homenageado, Antônio Nóbrega sobre o convite.

A letra da música conduz os ouvintes por uma jornada pelo universo do conhecimento ancestral, simbolizado pelo Lunário, utilizado por comunidades tradicionais para orientar suas atividades diárias. A Porto da Pedra ainda celebra a resiliência e a alegria do povo nordestino, perpetuando suas tradições mesmo diante das adversidades. E para levantar toda a Marquês, a agremiação convidou um dos grandes artistas nordestinos e estudioso das manifestações culturais do país, Antônio Nóbrega, assim como fala um dos versos “Vem Antônio, vem menino… seu destino é cirandar… Um brincante nordestino, pra missão perpetuar…”.

“Lunário Perpétuo” é um almanaque ilustrado com xilogravuras e composto pelo matemático, astrônomo, naturalista espanhol Jerônimo Cortés (1560-1610). Foi publicado em 1594, em Valência, Espanha. Em língua portuguesa foi publicado pela primeira vez em 1703, com tradução de Antônio da Silva de Brito e se tornou muito popular no Brasil, principalmente na região Nordeste.

O almanaque oferecia conselhos e orientações sobre os mais variados aspectos da vida, incluindo tabelas das fases da Lua, dos eclipses do Sol e das festas móveis, previsões do tempo, horóscopos, elementos de Direito, navegação, teologia, saúde, agricultura, maneiras de interpretar o comportamento dos animais, biografias de santos e papas e outros dados de interesse geral.

Segundo o historiador, folclorista e jornalista brasileiro, Luís da Câmara Cascudo (1898-1986) foi o livro mais lido no Nordeste brasileiro durante dois séculos.

Para acompanhá-lo neste momento único, Nóbrega convidou além da sua família, dois artistas populares do Recife. Paulinho 7 Flexas, sucessor do Mestre Zé Alfaiate, seu pai, fundador de um dos mais importantes e belos grupos de cultura popular do Brasil, Caboclinho 7 Flexas, e Nice Teles, primeira Mestra de Cavalo Marinho da Zona da Mata Norte de Pernambuco. Desafiando o universo masculino do Cavalo Marinho, atua como cantadeira e dançarina quebrando dogmas machistas dentro da própria brincadeira sendo uma das primeiras mulheres a colocar figura (personagens) nos brinquedos da região. Cofundadora do Cavalos Marinhos Estrela Brilhante e fundadora do primeiro Cavalo Marinho Infantil da Zona da Mata: Estrelas do Amanhã.


Antônio Nóbrega

Nascido no Recife, Antônio Nóbrega começou seu legado artístico aos oito anos, quando iniciou seus estudos no violino.

Em 1971, o dramaturgo Ariano Suassuna o convidou para integrar o Quinteto Armorial, dando início a uma amizade de vida e arte. A partir daí, passou a estudar o universo da cultura popular e a criar espetáculos de teatro, dança e música.

Entre suas produções estão “Brincante”, “Segundas Histórias”, “O Marco do Meio Dia”, “Figural”, “Na Pancada do Ganzá”, “Madeira Que Cupim Não Rói”, “Pernambuco Falando para o Mundo”, “Lunário Perpétuo”, “Nove de Fevereiro”, “Naturalmente”, “Húmus”, “Recital para Ariano”, “Semba”, “Rima”, entre outros.

Seu talento e originalidade foram reconhecidos com inúmeros prêmios, incluindo o Shell de Teatro, o Tim de Música, APCA, Mambembe e Conrado Wessel, além da distinção do Governador do Estado de São Paulo.

Com uma carreira sólida, o artista já se apresentou em diversas partes do Brasil e em outros países, levando consigo a riqueza e a diversidade da cultura brasileira.

Antônio Nóbrega ainda é cofundador, junto com sua esposa Rosane Almeida, do Instituto Brincante, em São Paulo, criado em novembro de 1992. O Instituto visa preservar e disseminar as tradições culturais brasileiras por meio de cursos, oficinas e apresentações.

O reconhecimento de sua carreira artística foi imortalizado no documentário “Brincante”, dirigido por Walter Carvalho em 2014. Um verdadeiro embaixador cultural, continua a desempenhar um papel fundamental na promoção e preservação das tradições que enriquecem a identidade única do Brasil.

Veja mais em: Instagram: @brincantenobrega


TV RAIZ em Recife/PE

Mestre José Alfaiate – Caboclinho 7 Flexas
Paulinho 7 Flexas

Colaborando com a RAIZ